22/06/2022

Segundo o TRE-PR, a relatoria está a cargo do Dr. Thiago Paiva dos Santos e o julgamento está previsto para ocorrer no dia 04/07/2022.

Após o promotor eleitoral da Comarca de Apucarana, Eduardo Augusto Cabrini, encaminhar à juíza da 28ª zona eleitoral de Apucarana, Márcia Pugliese Yokomizo, ação de investigação judicial eleitoral por abuso de poder econômico e captação ilícita de sufrágio (voto), a magistrada decidiu em (15/09) cassar o diploma do vereador Mauro Bertoli, reeleito no município. Bertoli é vice-presidente do legislativo e líder do prefeito Júnior da Femac na Câmara. O pedido do MP teve como base provas coletadas durante cumprimento de mandados de busca e apreensão durante a campanha eleitoral e outras posteriormente ao pleito (Veja entrevista).

Conforme o pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE), durante a campanha eleitoral e depois do pleito foram colhidas muitas provas pela Promotoria Pública de várias condutas ilícitas de Mauro Bertoli (DEM), reeleito para o sexto mandato de vereador em Apucarana com 1.514 votos, que configuram captação ilícita de sufrágio (voto) e abuso de poder econômico: fornecimento de vale combustível, fornecimento de cestas básicas em troca de votos, pagamento de churrascos e bebidas a fim de obter votos, pagamento de valores em espécie (dinheiro) em troca de voto e confecção/distribuição de material de campanha em quantidade muito superior à tiragem. Dois assessores de Bertoli foram condenados ao pagamento de multas.

Investigação parada na Câmara

O vereador também é alvo de investigação por pedofilia. Bertoli era investigado por crimes eleitorais, em cumprimento de mandado de busca e apreensão, o vereador acabou sendo preso por posse irregular de arma de fogo e, posteriormente, o seu celular foi apreendido, mediante ordem judicial.

Durante as investigações no celular do político foram encontrados arquivos de vídeos e fotos com conteúdo impróprio, com crianças e adolescentes. Alguns dos vídeos e fotos mostram atos libidinosos entre um criminoso e crianças.

De acordo com as informações obtidas pela reportagem do Portal 38 News, o promotor público Eduardo Cabrini teria encaminhado um ofício ao Legislativo MUnicipal, mas até agora nada foi feito na Câmara de Vereadores de Apucarana.

Julgamento

Segundo informações, o julgamento do vereador Mauro Bertoli seria um dos que mais demoraram para ocorrer no Tribunal Regional Eleitoral.

Em consulta junto ao TRE-PR, a relatoria está a cargo do Dr. Thiago Paiva dos Santos e o julgamento está previsto para ocorrer na 19ª Sessão de Julgamento, prevista para ocorrer no durante o dia 07 de julho de 2022.

Segundo informações no meio político, o julgamento de cassação do vereador deve ocorrer favoravelmente, mas há quem diga que juridicamente seria impossível reverter a sentença de cassação do diploma de Mauro Bertoli.

https://apptuts.bio/canal-38-apucarana

Deixe seu comentário