20/05/2021

Ministério Público está cumprindo mandado de busca e apreensão na Autarquia Municipal de Saúde (AMS).

A Comissão Especial para Examinar o Cumprimento da Ordem de Vacinação criada na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) investiga três denúncias graves envolvendo funcionários públicos do município que teriam furado a fila da vacina contra Covid-19, conforme informações dos deputados. Um empresário de Apucarana também afirma ter sido vítima da “falsa enfermeira” que está presa na cidade. Segundo informações, na tarde desta quinta-feira (19) o Ministério Público (MP) está cumprindo mandado de busca e apreensão na Autarquia Municipal de Saúde (AMS) de Apucarana relativo ao caso na “falsa enfermeira”.

Os Deputados Delegado Francischini, Delegado Jacovós (PL) e Arilson Chiorato (PT) integram a comissão que investiga os ‘fura-filas’ da vacina contra Covid-19. Nesta quinta-feira os parlamentares estão em Apucarana e participam de uma audiência pública no fórum Desembargador Clotário Portugal para ouvir a falsa enfermeira Silvania Regina Ribeiro Del Conte sobre os desvios e aplicação de vacinas em sua casa. Antes os deputados se reuniram com a com a Promotora Doutora Fernanda Lacerda Trevisan Silvério.

O Delegado Francischini disse que no Paraná há uma quadrilha suspeita de usar CPF de pessoas mortas para se vacinar. Já o deputado delegado Jacovós afirmou que todos os envolvidos devem ser punidos com o rigor da lei. Para o Delegado Jacovós, a Comissão precisa agir com rigor, pois além dos crimes cometidos por essas pessoas, a conduta é repugnante. “Em um momento de grave crise tanto na saúde como na economia, que atinge toda a população, não podemos aceitar estes indivíduos que se acham melhor que todos, colocando o egoísmo, individualismo e o desprezo pela sociedade que vivem como sua prioridade”, ressaltou Jacovós.

Deixe seu comentário