22/07/2021

Duas das quatro vítimas resgatadas sem vida do Rio Ivaí, após um acidente de barco no último domingo, 18, estão sendo veladas em Maringá. O velório de Adalberto Fernandes Galice, de 42 anos, e de Sophia Pacagnan Fernandes, de 4 anos, ocorre nesta quinta-feira, 22, na capela do Prever no Jardim Alvorada, em Maringá, cidade onde pai e filha moravam.

Adalberto Fernandes morava no Jardim Sumaré. Ele e dois filhos pequenos estavam no barco que virou com nove pessoas no Rio Ivaí. Os corpos de Adalberto e da filha foram resgatados nessa quarta-feira, 21.

No velório, familiares muito abalados não falam com a imprensa. Adalberto tinha muitos amigos e era bastante querido. Acássio Ciofi foi ao velório se despedir do colega de trabalho, vizinho e amigo de longa data. “Trabalhamos juntos numa empresa de Maringá e ele morava perto da minha casa. Somos amigos há vários anos. [Sou] conhecido da esposa dele, da família e a gente sempre estava junto. Estávamos com fé de que eles iam salvar, mas, infelizmente, Deus não quis, mas vamos pedir para Deus reconfortar sempre a família, a esposa dele que é uma grande mulher, batalhadora junto com ele. Uma [história] muito triste, a gente está desolado porque ele é um grande amigo, um rapaz que sempre trabalhou, que procurou sempre alcançar seus objetivos na vida, mas que infelizmente, com essa tragédia, não deu”, disse.

Uma semana antes da tragédia, Luciano Douglas de Oliveira teve a oportunidade de aproveitar bons momentos num churrasco com o amigo carinhosamente chamado “João Beto”, e guarda a foto ao lado dele, registrada neste encontro. “O Beto era um cara extremamente extrovertido, um grande amigo, a gente teve mais de 15 anos de amizade. Uma triste perda. Não há palavras no mundo que descreva isso. No último sábado, a gente fez um churrasco na minha casa e eu fiz questão demais que ele estivesse na minha casa. Tenho a última foto com ele. E, cara, vou falar uma coisa para você: É triste a perda de um grande amigo. É muito doloroso”, lamentou Oliveira.

Os bombeiros ainda procuram por Nicolas, de oito anos, filho de Adalberto com a atual mulher, que não estava no barco no dia do acidente. Além da esposa, Adalberto deixa um filho do primeiro casamento.

Os corpos das outras duas vítimas resgatadas nesta quarta-feira, 21, estão sendo velados na capela do distrito de Jacutinga, em Ivaiporã.

A tragédia
O acidente aconteceu no Rio Ivaí, no distrito de Ubaúna, em São João do Ivaí. Segundo relato das vítimas que sobreviveram aos bombeiros, o motor do barco parou de funcionar perto de uma região conhecida como Salto dos 3 Poços. Sem motor, o barco teria sido levado pela correnteza e virou logo depois. Das nove pessoas que estavam no barco, somente três conseguiram sair.

Os bombeiros ainda procuram por Nicolas, de oito anos, filho de Adalberto com a atual mulher, que não estava no barco no dia do acidente. Além da esposa, Adalberto deixa um filho do primeiro casamento.

Os corpos das outras duas vítimas resgatadas nesta quarta-feira, 21, estão sendo velados na capela do distrito de Jacutinga, em Ivaiporã.

A tragédia
O acidente aconteceu no Rio Ivaí, no distrito de Ubaúna, em São João do Ivaí. Segundo relato das vítimas que sobreviveram aos bombeiros, o motor do barco parou de funcionar perto de uma região conhecida como Salto dos 3 Poços. Sem motor, o barco teria sido levado pela correnteza e virou logo depois. Das nove pessoas que estavam no barco, somente três conseguiram sobreviver.

É um casal e uma criança, de 3 anos, moradores de Sarandi. O casal conseguiu se segurar no barco tombado e a criança se pendurou no pescoço da mãe, segundo informações das próprias vítimas. Eles conseguiram chegar no barranco e foram resgatados por moradores locais. A criança estava com quadro de hipotermia, devido ao frio, mas foi socorrida e já recebeu alta. Fonte: Luciana Peña/CBN Maringá/GCMOnline

Deixe seu comentário