10/09/2020

A pandemia de Covid-10 ainda não acabou e o risco de contágio pelo vírus se não houver distanciamento social é inevitável, mas pessoas que precisam utilizar os ônibus do transporte coletivo urbano em Apucarana diariamente para ir e voltar do trabalho têm reclamado com frequência da superlotação nos ônibus, que aumenta e potencializa a possibilidade de contágio pelo Coronavírus, além de provocar outros transtornos.

Segundo informações, algumas linhas aglomeram passageiros, entre os quais muito idosos que integram grupo de risco, e isso estaria acontecendo em razão do número reduzidos de ônibus em algumas linhas, inclusive em horários de pico, o que também gera atrasos.

“Olha, a situação da circular está uma vergonha. Ao invés de aumentarem os ônibus nas linhas, não aumentam, nem no horário de pico, quando o comércio fecha e muitos trabalhadores, assim como eu que moro no Conjunto Marcos Freire, têm que pegar a circular nesse horário”, reclamou a apucaranense que encaminhou mensagem e fotos de ônibus lotado via WhatsApp à reportagem do portal do Canal 38 reclamando de tal situação. Em matéria publicada em junho sobre o mesmo problema, mas desta no ônibus metropolitano a ativista Renata Borges, de Apucarana, disse uma frase emblemática sobre a situação: “Esse é o bonde da necropolítica”.

De acordo com usuários do transporte coletivo urbano, é uma obrigação da Prefeitura de Apucarana cobrar a regulação da empresa prestadora do serviço e fiscalizar isso, pois a empresa ganhou esse direito em licitação e deveria disponibilizar mais horários e mais ônibus para reduzir o acúmulo de passageiros e ter mais espaçamento dentro dos coletivos, evitando assim as aglomerações e a potencialização de contágio pelo Covid-19.

Deixe seu comentário