25/03/202

O membro do Legislativo Municipal de Apucarana também criticou a Secretaria Estadual da Saúde por conta da falta de locais específicos para internamento de pessoas com a Covid-19 e pela interrupção da vacinação para imunizar a população do Estado contra outras doenças.

O vereador Lucas Ortiz Leugi usou a palavra em sessão da Câmara Municipal de Apucarana nesta quarta-feira (25) para questionar o tempo que o Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) demora para divulgar os resultados dos exames em material coletado de apucaranenses com suspeita de Coronavírus.

“O governador de São Paulo, João Dória, teve material coletado e logo saiu o resultado negativo; o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, a mesma coisa; o resultado saiu rapidamente. Agora com os apucaranenses já se passaram mais de 140 horas que o material para exames foi coletado e nada da divulgação dos resultados, sendo que o prazo era de 72 horas para que tais resultados fossem divulgados. Por que essa demora? Isso aumenta a agonia das pessoas que estão com suspeita de coronavírus”, frisou Leugi.

De acordo com o vereador, essa cobrança de mais agilidade é em razão do aumento da apreensão da comunidade local, que busca informações constantemente sobre os resultados e vem sendo mais incisiva em relação ao Lacen para a divulgação dos mesmos.

Leugi também criticou o governo do Estado do Paraná e a Secretaria Estadual da Saúde por conta da falta de locais específicos para internamento de pessoas com a Covid-19 e pela interrupção da vacinação para imunizar a população do Estado contra outras doenças. O vereador falou que que gostaria que alguém lhe explicasse a lógica sobre os protocolos de vacinação adotados no Paraná porque, segundo ele, as vacinas para outras doenças, estão suspensas em todo o Estado.

“Por que não fazem as vacinas com agendamento? O rico vai tomar vacina, pois tem como pagar, mas o pobre não tem como pagar R$ 300, R$ 400 ou R$ 500 por uma vacina; temos que nos preocupar com o coronavírus, mas também com as outras doenças; isso é um absurdo porque só vai prejudicar o pobre. Além do que o Paraná é um dos Estados do Brasil mais afetado pela dengue, e aí o paciente com essa doença vai para o hospital onde estão os infectados pelo coronavírus e fica sujeito a ser contaminado por não termos locais específicos para internamentos dos infectados pelo Covid-19, não só os idosos, mas todas as pessoas internadas”, completou Leugi.

Deixe uma resposta