01/04/2020

O vice-reitor da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Décio Sabbatini, afirmou nesta semana em entrevista para Tarobá News que considera um equívoco a estratégia e determinação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), do secretário Beto Preto, no sentido de que os exames dos casos suspeitos de Coronavírus no Paraná sejam realizados somente no Laboratório Central do Estado do Paraná – LACEN – em Curitiba.

A Universidade Estadual de Londrina (UEL) informou nesta terça-feira (31) que tem estrutura disponível na cidade com capacidade para fazer mil testes de Covid-19 por dia. Isso só dependeria do governo do Estado do Paraná e da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), conforme o vice-reitor Décio Sabbatini.

Segundo ele, faltam apenas reagentes para que os exames sejam feitos em Londrina, agilizando os resultados e potencializando o contingenciamento do Coronavírus de um modo geral no Estado. A sociedade londrinense já se disponibilizou a ajudar bancar esses gastos para comprar os reagentes.

Hoje, por determinação do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, os exames são realizados somente no LACEN, em Curitiba. Conforme informações, 14 deputados da base do governador Ratinho Júnior assinaram requerimento encaminhado ao governador do Paraná, Ratinho Júnior, entre os quais a autora do mesmo, deputada Maria Lima, os deputados delegado Jacovós, Tercílio Turini, entre outros questionando a lógica da estratégia da Sesa em concentrar os exames apenas no LACEN, em Curitiba, se há condições técnicas para que os mesmos sejam feitos em cidades do Interior do Paraná.

“O Lacen já está sabendo dessa nossa disponibilidade e é nossa intenção ajudar, mas até o momento o que sabemos é que o teste continuará sendo realizado em Curitiba e isso é um equívoco, porque faltam apenas reagentes para que façamos esses testes aqui em Londrina. Hoje o HU demora 7 dias para receber os exames do Lacen e se os mesmos exames fossem feitos em Londrina poderiam termos os resultados em apenas um dia. Cada paciente com suspeita de Coronavírus fica isolado e o leito hospitalar fica preso durante 7 dias por conta dessa demora para a divulgação dos resultados desses exames”, frisou Sabbatini.

Ainda conforme o vice-reitor da UEL, a sociedade civil de Londrina se organizou e já encaminhou ofício à reitoria da universidade se disponibilizando para fazer orçamentos e comprar os reagentes que a Sesa não repassou e que faltam para a realização dos exames de Coronavírus em Londrina.

Vários deputados estaduais questionam a demora para divulgação dos exames, além dos altos custo, pois diariamente aviões oficiais sobrevoam o Paraná buscando material coletado de pessoas com suspeita de Coronavírus e depois levam de volta os resultados dos mesmos, além de voos de helicóptero em Curitiba, para levar os materiais do aeroporto onde os aviões pousam até o LACEN.

JACOVÓS – O deputado delegado Jacovós destacou que o LACEN de Londrina, na UEL, e o Lepacm de Maringá, são competentes para fazerem o exame.

“Está demorando de 10 a 15 dias para sair o exame em Curitiba. O quadro real de hoje, não é o real. Enquanto em outros países se conhece o exame em 15 minutos, aqui está demorando 15 dias”, compara Jacovós.

O parlamentar reitera ainda que está havendo gastos desnecessários neste aspecto, visto que o dinheiro gasto com aeronaves para buscar os exames para levar para Curitiba, a economia do combustível dessas aeronaves poderia estar sendo usada, por exemplo, para comprar equipamentos de prevenção para os policiais civis e militares.

O mesmo posicionamento de Jacovós têm os deputados Tercílio Turini, Michele Caputo, Mara Lima, entre outros parlamentares estaduais.

O deputado estadual Tercílio Turini avalia que a realidade do Coronavírus fica desatualizada por conta de uma decisão equivocada da Sesa. “A centralização dos exames no Laboratório Central, em Curitiba, cria muita dificuldade nas outras cidades. Em alguns casos, os resultados demoram 10 dias, de doentes internados nos hospitais. Com isso, a realidade do coronavírus fica desatualizada, com mais riscos para a população”, ressaltou Turini.

Ademais, a Organização Mundial da Saúde (OMS) destacou a importância da realização de testes laboratoriais para a rápida detecção do coronavírus.

Deixe uma resposta